Visto para hong kong portugueses

Portugal pertence ao grupo de Schengen, na União Europeia. Os titulares de passaportes da RAEM e da RAEHK não carecem de visto para viagens de turismo até dias à zona Schengen. Em função da viagem a efetuar, os vistos concedidos pelo Consulado podem ser nacionais ou uniformes para a zona Schengen.

Os viajantes que necessitem de apoio dos Serviços Consulares portugueses poderão dirigir-se ao Consulado Geral, na Rua Pedro Nolasco da Silva, nº Tel. Para estâncias inferiores a dias, os cidadãos portugueses não precisam de nenhum tipo de visto e podem viajar levando apenas o passaporte em vigor.

Cidadãos Britânicos de Territórios do Ultramar (BOTC). O mesmo se aplica a todos os países da União Europeia. A informação que aqui apresento é para o caso de quereres tratar do visto de forma independente e pedindo visto de turismo.

A consulado não é apenas uma missão diplomática. Pode ser obtido junto dos serviços das representações consulares moçambicanas em Portugal. Devo fazer uma marcação para submeter os documentos no Centro de Atendimento de Vistos ? Eu inclui a cidade no roteiro porque .

Para começar, tem uma profissão que é, no mínimo, diferente: é treinador de esgrima. China Civil Plaza, 20º Andar, N. A Embaixada fica no fim da Rua de Buenos Aires, Lapa. Não me lembro do nome da rua, . As malas podem ser direcionadas diretamente do avião para o barco.

A ligação de barco não existe a . Macau, a partir de Portugal. De Hung Hom partem trens para. PRECISAM DE VISTO DE CURTA . Todos os portugueses e brasileiros que se desloquem em turismo à Índia necessitam de um passaporte válido por um período de meses, com pelo menos duas páginas em branco. Para além disso, precisam ainda do visto de entrada. O visto para a Índia tem de ser tratado previamente.

Leve tudo o que pensa precisar e mais ainda. Documentos a levar para tirar o visto em Lisboa: -Impresso . DA TOTAL E EXCLUSIVA RESPONSABILIDADE DO PASSAGEIRO OBTER OS VISTOS.

Excepções: a) Hong Kong , PASSAPORTE válido por mais de meses à data de partida. O brasileiro Jefferson da Silva Sobrinho foi condenado nesta terça-feira a três anos de prisão pela Justiça de Hong Kong por ter participação em um esquema.