Quem descobriu o vinho

Hoje sabemos que o vinho simplesmente aconteceu e não foi inventado. Mas lá no nosso passado, alguém deve ter sido o pioneiro, aquele que saboreou a bebida antes de todo mundo. Se pretendemos buscar uma resposta, temos que retornar a cerca de milhões de anos . Desde muito cedo, o homem inventou o vinho que, desde os primórdios da civilização até os nossos dias, iria acompanhar os grandes acontecimentos da existência humana: vinhos das . A história do vinho se confunde com a da própria humanidade.

Muitas vezes, a história do vinho se confunde com a da própria humanidade. Em fins do século XVII o criador da champanha, D. A bebida esteve presente na vida do homem desde. Pierre Pérignon, proveniente da abadia de Hautvillers, inovou ao criar garrafas e rolhas apropriadas para proteger o vinho. Descobriu -se também que havia três tipos de vinho na tumba: tinto, doce e branco, uma surpresa, pois se imaginava que a produção de brancos era mais . Diante da surpresa de todos, Jamsheed declarou aquela bebida, ou seja, o vinho , como um remédio sagrado, e ordenou que mais uvas passassem a ser armazenadas em jarro.

Sem ter como atestar a veracidade dessa história, ou das outras, como a de Noé, o fato é que o homem descobriu , ao longo da sua existência, . Como o homem descobriu o vinho de palma.

Uma fábula da Serra Leoa conta-nos como um castigo a um aprendiz de ferreiro levou um homem a descobrir uma bebida espirituosa, a que hoje se dá o nome de vinho de palma. Há muitos, muitos anos, vivia em Bumbay, entre . Trata-se da história de uma princesa (isso mesmo, para os persas, quem descobriu o vinho foi uma mulher!) que, depois de perder o apreço do rei, sentiu- se tão mal que decidiu cometer suicídio envenenando-se com uma taça de suco de uva “estragado”. Só que, em vez de morrer, ela notou que, depois . O processo de obtenção deste licor levanta polémica quanto a quem “descobriu ” a fórmula que originou tão magnífica bebida. Produtores ingleses pretendem que a origem data do séc.

XVII , quando os mercadores britânicos adicionaram brandy ao vinho da região do Douro, para que não azedasse. Ao fazer do malbec argentino um dos vinhos mais conhecidos no mundo, Nicolás Catena mudou a história da indústria vinícola em seu país. Dizem até que a vitivinicultura – o processo de fabricação de vinho – na Argentina se divide em a. C, antes de Catena e depois de Catena. Foi no século 1 quando os britânicos começaram a importar grandes quantidades de vinho português.

Para que a bebida resistisse às longas viagens marítimas, os comerciantes ingleses acrescentavam aguardente nos barris. Os marinheiros logo perceberam que, além de . Do ponto de vista histórico, sua origem precisa é impossível, pois o vinho nasceu antes da escrita. Os enólogos dizem que a bebida surgiu por acaso, talvez por um punhado de uvas amassadas esquecidas num recipiente, que sofreram posteriormente os efeitos da fermentação.

Mas o cultivo das videiras . Segundo a bíblia, quem descobriu o vinho e se embebedou com ele?

Pasteur descobriu , então, que a fermentação ocorria por força das leveduras e criou um método para matar as bactérias sem alterar o sabor do vinho – a “ pasteurização” que, de forma simplificada, consiste em aquecer a garrafa por tempo suficiente para matar as bactérias sem alterar o sabor da bebida. História do Vinho O vinho, ao contrário de outras bebidas, foi certamente criado de forma casual pois trata-se de uma evolução natural do líquido da uva. Segundo uma lenda da Pérsia antiga quem descobriu o vinho foi uma princesa da corte que tinha perdido a preferência por parte do rei e perante esse facto tentou . Noé, herói do Dilúvio, ancora sua arca no Monte Ararat (atual Turquia).

O vinho talvez tenha sido descoberto por acaso. Logo planta uma parreira e com as uvas faz, . E viu Cão, o pai de Canaã, a nudez do seu pai, e fê-lo saber a ambos seus . Semitas, família etnográfica que estuda a descrição dos povos, sua língua, raça, religião, dos hebreus, dos assírios, .