O vinho na antiguidade

Para o gosto contemporâneo, o vinho daquela época era bastante incomum. Homero o descreveu delicado e suave, mas apesar do romantismo e das tradições festivas que a bebida evocou na época, o vinho da Antiguidade era ingerido com água do mar e reduzido a um xarope tão espesso e turvo que tinha que ser . Os relatos que serão encontrados nessa matéria possuem informações sobre os primeiros vinhedos plantados no mundo, a origem dos primeiros Clos, a revolução das garrafas, . Do Império Romano, pela Idade Média, até os nossos dias, o vinho acompanhou os principais momentos da história da humanidade e se transformou. Considerado uma bebida especial, era reservada às oferendas aos deuses e reis.

Não há como negar a importância dos gregos na difusão do vinho na Antiguidade. A aplicação da resina em seus vinhos e ânforas mais resistentes contribuíram na conservação da bebida para atravessar longas jornadas e chegar a outras . Fato é que cada civilização da antiguidade clássica tem a sua própria história a respeito do vinho. Mencionada na Bíblia, a cultura cristã . Os egípcios foram os primeiros a saber como registar e celebrar os detalhes da vinificação em suas pinturas que datam de 1. Nas tumbas dos faraós são vistas cenas mostrando como os vinhos eram bebidos.

O consumo de vinho estava limitados aos ricos, nobres e sacerdotes.

O vinho na antiguidade clássica. Alguns apontamentos sobre Lousada. O breve ensaio que agora apresentamos surge na sequência de um conjunto de dados que têm vindo a ser compilados no âmbito dos vários . Contemporaneamente, no coração do Mediterrâneo, a videira . Como, quando e onde tudo começa? Fábulas, verdades e controvérsias permeiam a origem do vinho. Sobre a origem do vinho a fábula mais citada é persa e fala de uma princesa (outros relatam ser uma donzela do harém) da corte do rei Jamshi que tentando se suicidar ingeriu uma jarra cheia de . Esta bebida também era importante mercadoria no comércio entre as civilizações antigas e frequentemente considerado uma espécie de ouro líquido.

Nem mesmo a cerveja, muito consumida na antiguidade , conseguia o status do vinho. Este era considerado divino, tratado com distinção e associado aos . O amor da humanidade pela bebida produzida no processo de fermentação da uva não é nada recente. Aliás, a história do vinho é tão Antiga — com “a” maiúsculo mesmo, pois a “bebida de Dionísio” já aparece na Antiguidade Clássica e até no Velho Testamento, nas uvas cultivadas por Noé — que . No entanto, a descoberta de sementes de Vitis vinifera (a espécie de videira a partir da qual se faz o vinho) encontradas na Geórgia (Cáucaso) é aceita como. Por ser protegido por uma lei específica, isso mostra qual era a importância do comércio de vinho na Antiguidade.

Itália, Sicília, Península Ibérica e França. Porém, o vinho desta época era bastante diferente do atual.

O que têm em comum as expressões “lua-de-mel” e “simpósio”? A origem de ambas tem relação com o vinho. Com vários séculos de história, esta bebida deu início a alguns dos costumes mais arraigados da cultura ocidental. Transcript of VINHO , DA ANTIGUIDADE ATÉ A ATUALIDADE, PRODUÇÃO E CONSUMO. CONCEITO Bebida obtida a partir da fermentação do suco da uva, processo em que micro-organismos transformam o açúcar da fruta em álcool e em outras substâncias.

CLASSIFICAÇÕES E VARIAÇÕES DA . A antigüidade do vinho se deve a características naturais da uva. Ela é uma fruta sumarenta e cheia de açucares, a única fruta que tem uma tendência natural à fermentação. Uma vez espremida, seu sumo logo entra em contato com as leveduras que farão o processo de fermentação, presentes em estado selvagem na . A antiguidade do vinho se deve as características naturais da uva. A Idade Média na Europa foi um período de cerca de mil anos que começou com a queda do império romano no ano 4d.

Renascença e na Idade das Descobertas no século XV. Este período também ficou conhecido como a Idade das Trevas, devido à deterioração intelectual, .