Marcas de chocolate que não usam trabalho escravo

Bem Antônio bem postado seus argumentos! Falta uma listas das empresas multinacionais ou não que não usam trabalho escravos , infantil principalmente ou não. Em setembro passado, foi arquivado um processo contra algumas empresas bem famosas – entre as quais estão nomes conhecidos, como Mars e Nestlé – que para a produção de seus chocolates , financiam o trabalho escravo de crianças na África Ocidental, de onde provêm dois terços do cacau . Chocolate , páscoa e trabalho infantil: Conheça as sete marcas de chocolate que utilizam trabalho escravo infantil. O documentário Slavery: A Global Investigation .

Grande parte do cacau usado para fazer chocolates ao redor do mundo vem da Costa do Marfim, África. A cultura do cacau é considerada artesanal, pois necessita de mão de obra em todas as etapas de plantio . No documentário foram entrevistadas crianças . Em declaração ao Correio, a assessoria da Nestlé Brasil informou que não há lugar para trabalho infantil na cadeia de suprimento da empresa. Os espancamentos eram parte da minha vida.

Vocês desfrutam de algo que foi feito com o meu sofrimento. Para garantir a sustentabilidade.

Trabalhei duro para eles, sem nenhum benefício. Estão a comer a minha carne, a frase chocante de uma criança liberada do trabalho escravo em uma plantação de cacau mostra a falta de fiscalização contra o trabalho escravo infantil. Em uma fazenda no distrito de Divo do país, a FLA encontraram evidências de trabalho forçado, com um jovem trabalhador não receber nenhum salário por um ano de trabalho em uma fazenda. Não compactua com essa situação?

Então, confira abaixo lista feita pela U. Uncut que reúne fabricantes multinacionais de chocolate que utilizam cacau proveniente de trabalho escravo infantil. Se você pensa que não passamos por esse problema no Brasil, uma vez temos produção própria de cacau e não compramos chocolate de trabalho escravo africano, saiba que não é bem assim. O Brasil possui o terceiro maior mercado para chocolate do mundo.

ZURIQUE – A Nestlé disse que a KitKat será a primeira marca internacional de chocolate a fabricar todos os seus produtos com cacau de origem sustentável, em um. Fancy Feast contém peixe de um fornecedor tailandês que utiliza trabalho escravo. AS SETE MARCAS DE CHOCOLATE QUE UTILIZAM TRABALHO ESCRAVO INFANTIL – Um outro amigo diz: o negocio é parar de comer chocolate escravo e. O gosto peculiar da bebida não se parecia com nada antes provado pelo europeu. O cacau era muito importante para o Império. Descubra as marcas de chocolate que utilizam trabalho escravo infantil.

Por outro lado, a Eurostat não compila esses dados sobre a religião.

As crianças são forçadas a viver em lugares isolados, são ameaçadas com espancamentos, ficam presas inclusive durante a noite para que não fujam e são forçadas a trabalhar por longas. As sete marcas de chocolate que utilizam trabalho escravo infantil: Algumas empresas têm sido acusadas de fechar os olhos para as violações de direitos humanos por parte dos produtores de cacau na África Ocidental. A Nestlé informou que o produto Fancy Feast vendido no Brasil é importado da França, que não usa ingredientes provenientes da Tailândia.